Queimadores industriais e sistemas de aquecimento – a importância da manutenção

energitec

A manutenção de máquinas e equipamentos é importante não apenas para garantir a confiabilidade e segurança dos equipamentos, mas também para melhorar a qualidade e evitar desperdícios, reduzindo os custos de produção.

E, para prevenir eventuais quebras e falhas em seus equipamentos e sistemas, a empresa deve elaborar uma política padrão de manutenção e adotá-la como processo a ser seguido por todos. E, falando especificamente de sistemas de aquecimento, é ideal que a manutenção ocorra antes que os problemas aconteçam, pois desta maneira não há paradas indesejadas e o equipamento tem condições de trabalhar de acordo com as recomendações do fabricante, gerando melhor rendimento e, consequentemente um consumo sempre dentro ou até abaixo do esperado.

Os tipos de manutenção

Para encontrar o melhor plano de manutenção nos queimadores é preciso, além de levar em conta os tipos de equipamento e a própria aplicabilidade do plano entre as rotinas do seu negócio, entender bem o que significa manutenção, de fato. Para isso, leve sempre em conta os tipos de manutenção existentes:

  1. Manutenção Corretiva – Existe para restaurar ou corrigir o funcionamento da máquina e é feita depois de apresentada quebra ou falha. A manutenção corretiva pode ser – planejada (quando se percebe que o equipamento não está trabalhando como deveria) ou – não planejada (quando é realizada após a quebra do equipamento). Geralmente a manutenção corretiva não planejada implica em custos altos e pode gerar quebra de produção e da qualidade do produto.
  2. Manutenção Preventiva – Existe com a intenção de reduzir ou evitar a quebra ou queda no desempenho do equipamento. A manutenção preventiva é indicada quando houver riscos com a segurança do operador e/ou riscos de agressão ao meio ambiente.
  3. Manutenção Preditiva – Visa realizar ajustes na máquina ou equipamento apenas quando for necessário, conforme indicação do fabricante para evitar deixá-los falhas ou danos ao equipamento. Com um acompanhamento direto e constante é preciso prever falhas, mas as máquinas devem permitir monitoramento para que se faça este tipo de manutenção, também chamada de manutenção planejada.

Manutenção Corretiva x Manutenção Preventiva

A maioria das empresas com um controle razoável de manutenção planeja-se incluindo um certo nível de manutenção preventiva regular, o que resulta numa probabilidade  razoavelmente baixa de falhar. Na maior parte das vezes, quanto mais freqüentemente elas acontecem, menor é a chance de ocorrerem quebras ou falhas nos equipamentos. O equilíbrio entre manutenção preventiva e corretiva é estabelecido para minimizar o custo total das paradas.

A manutenção preventiva pouco freqüente custará pouco para ser realizada, mas resultará em alta probabilidade de manutenção corretiva. O inverso também ocorre: a manutenção preventiva muito freqüente será dispendiosa de realizar, mas reduzirá os custos necessários para providenciar a manutenção corretiva.

Manutenção Produtiva Total (TPM)

Manutenção preventiva total é o nome dado ao programa de manutenção originalmente baseado no método japonês 5S (organizar, arrumar, limpar, padronizar, ter disciplina), e que representa uma evolução da manutenção corretiva para a manutenção preventiva.

O programa de Manutenção Produtiva Total se baseia em 5 metas:

  1. Melhorar a eficácia dos equipamentos (ou seja, tirar o máximo proveito das funções da máquina)
  2. Promover a manutenção autônoma (ou seja, ao precisar da intervenção de técnicos externos)
  3. Planejar a manutenção (ou seja, manter um calendário de manutenção constante e planejado para épocas em que a parada dos equipamentos não prejudique o andamento da produção)
  4. Treinar todo o pessoal (ou seja, habilitar sempre mais de um funcionário para realizar a manutenção)
  5. Conseguir gerir os equipamentos (ou seja, conhecer o rendimento/produtividade de cada máquina e o custo desta operação para a empresa)

Conclusão

Manter um programa de manutenção é essencial para que os equipamentos e sistemas de aquecimento de sua empresa funcionem da melhor maneira possível. E, -para isso, conhecer o equipamento e seu funcionamento, bem como seus componentes individuais e vida útil é essencial. Mas não basta. Além deste conhecimento, é preciso contar com um bom prestador de serviços de assistência técnica. Aliás, mais que um prestador, é preciso ter um parceiro.

Uma empresa conceituada e que seja especialista tanto na manutenção quanto na fabricação dos equipamentos poderá ajudar a criar o melhor projeto e plano de manutenção para sua empresa, ajudando-a a crescer cada vez mais. E falando em sistemas de aquecimento e combustão, ninguém melhor para ser este parceiro do que a GMB Queimadores. Você já conhece? Navegue no site e saiba mais: www.gmbqueimadores.com.br.

Comentários